FERRARI9 – Com Fernando Alonso, deu tudo certo e o espanhol conseguiu fazer um fim de semana impecável. Com Felipe Massa, o câmbio não funcionou no treino oficial e o brasileiro não conseguiu sair do pelotão da mediocridade. De qualquer jeito, a equipe volta a brigar pelo título de pilotos e apenas onze pontos separam Alonso de Webber. Começo a achar que aqueles sete pontos a mais da polêmica ordem de equipe de Hockenheim poderão fazer a diferença.

RED BULL8,5 – Em um desses dias muito raros, a equipe conseguiu ter uma corrida sem dores de cabeça e, veja só, até conseguiu colocar dois carros no pódio. Faltou vencer, mas daí já é pedir muito. E olha que ela até tinha o melhor carro, mas Vettel colocou tudo a perder com o erro no treino oficial. Webber, no entanto, fez a lição de casa e ainda é líder. Esqueça o alemão, Christian Horner.

MCLAREN6,5 – A equipe parou de crescer nas últimas etapas e a Ferrari parece ter o segundo melhor carro neste momento. Lewis Hamilton também não ajuda ao abandonar, pela segunda vez, devido a um acidente causado por ele mesmo. Ao menos, sempre há um Jenson Button para levar uns pontos para casa. Mas os ingleses precisam melhorar.

MERCEDES7 – Mais um fim de semana com Nico Rosberg andando muito bem sem chamar muito a atenção. Mais um fim de semana com Michael Schumacher andando mal e se envolvendo em tudo quanto é tipo de confusão. A equipe não tem nada mais a almejar neste ano a não ser fazer exatamente isso. Injustiça minha com Rosberg, que está perto de tomar a 6ª posição de Massa no campeonato.

WILLIAMS7,5 – Marcou pontos com os dois pilotos novamente, e dessa vez Rubens Barrichello terminou em um ótimo sexto lugar. Nico Hülkenberg também não andou mal, mas poderia ter conseguido mais pontos se não tivesse aprontado várias. Mas sir Frank Williams não tem muito do que reclamar.

RENAULT5,5 – Já que Vitaly Petrov não ajuda, o negócio é esperar por uma boa aparição de Robert Kubica. Mas a sorte também não ajuda e o polonês teve de fazer uma parada a mais devido a problemas de freios. Ainda assim, terminou em sétimo. Assim como a Mercedes, é outra equipe que tem dificuldades para peitar os grandes e também não é peitada pelas equipes menores.

FORCE INDIA4 – Vitantonio Liuzzi estragou seu carro no muro cingapurenho na segunda volta e só aumentou a irritação da equipe para com ele. Ao menos, havia ainda Adrian Sutil, mas este também teve várias dificuldades na corrida e ficou preso por um bom tempo atrás do Virgin de Glock. O carro não estava tão bem, como visto no treino oficial. No fim, marcar pontos foi bom.

TORO ROSSO3 – Tanto Jaime Alguersuari quanto Sebastien Buemi poderiam ter marcado pontos, mas ambos tiveram vários problemas. O espanhol largou dos boxes devido a um problema de refrigeração e o suíço teve de tudo em seu carro. É uma equipe sem muito futuro e eu realmente espero que seja vendida à turma do Jacques Villeneuve e da Durango.

VIRGIN6 – Apresentando um novo pacote aerodinâmico, o carro deu um notável salto de qualidade e os dois pilotos conseguiram largar à frente de, ao menos, um dos pilotos da Lotus. Timo Glock chegou a andar em 10º e manteve um bom ritmo durante boa parte da corrida. Porém, Lucas di Grassi foi o único a levar o carro até o fim. Gostei de ver.

LOTUS2,5 – Tony Fernandes pode aparecer lá no escritório da Cosworth e justificar muito bem o motivo da rescisão de contrato para 2011. O carro de Heikki Kovalainen foi vítima de um perigoso incêndio no final da corrida, e o finlandês teve de exibir seus dotes como bombeiro para conter as chamas. Jarno Trulli também teve vários problemas, a Virgin se aproximou perigosamente e até mesmo a Proton está exigindo que a equipe não se chame mais Lotus no ano que vem. Dias difíceis para a equipe verde.

SAUBER2 – Voltou a ter aquelas apresentações medíocres e desastradas do início do ano. Nick Heidfeld, reestreando pela equipe, bateu em Liuzzi na largada e foi tirado da pista por Schumacher mais à frente. Kamui Kobayashi foi tocado por Buemi na largada, tirou Schumacher da pista e acabou batendo sozinho na volta 32. E muitos cifrões voaram da carteira de Peter Sauber.

HISPANIA0,5 –Uma puta de uma balburdia, esta equipe. Inventaram uma gastroenterite para sacar Sakon Yamamoto e colocar Christian Klien e alguns patrocinadores austríacos no lugar. E ele não foi mal, batendo Bruno Senna com tranqüilidade no treino oficial e na corrida. Mas não adiantou nada, já que os dois não terminaram a corrida.

TRANSMISSÃOBONS ALUNOS – Não sei se era meu sono ou se o fato de ter perdido o treino oficial me fez ignorar algum ocorrido, mas o caso é que o trio global não falou nada digno de “500 de Esparta” ou “em décimo, o Petkovic”. Galvão Bueno se empolgou um pouco além da conta com o circuito e seus pretensos pontos de ultrapassagem, mas dou um desconto. Afinal, pensando bem, a pista não é tão ruim assim e a corrida foi boa. Destaco apenas a insistência do limitado Lito Cavalcanti em dizer, na transmissão da SporTV, que Felipe Massa estava ameaçado na Ferrari e Adrian Sutil poderia ser seu substituto. Bullshit, como diria o britânico.

CORRIDADIVERSÃO NOTURNA – Eu, como 9 em cada 10, esperava ver uma corrida de merda. Sabe como é, as corridas de Spa-Francorchamps e Monza não foram tão legais quanto prometiam e uma pista de rua não ajuda. Mas me surpreendi. A prova foi boa, bem melhor do que as dos circuitos mais badalados. Mesmo que Fernando Alonso tenha vencido de ponta a ponta, fiquei satisfeito em ver sua performance dominadora e fiquei feliz também ao ver como Sebastian Vettel tentou ao máximo tomar a liderança que provavelmente seria sua se não tivesse ocorrido o erro no Q3 da classificação. Mais atrás, as brigas e ultrapassagens aconteciam a rodo  e pilotos como Timo Glock e Robert Kubica chamavam bastante a atenção. Acidentes também aconteceram, como o tumulto causado por Kamui Kobayashi e que envolveu Bruno Senna. No fim, tudo aquilo que uma corrida boa costuma ter teve em Cingapura.

Anúncios