No Bandeira Verde, os pilotos serão analisados como você era na escola ou na faculdade: notas. É óbvio que você deverá discordar de várias, mas a vida é assim. Primeiramente, os pilotos. Mais tarde, equipes e a corrida em si.

FERNANDO ALONSO9,5 – Não brilhou nos treinos, mas fez a lição de casa na corrida, passou Felipe Massa na largada e estava na posição certa quando Vettel começou a ter problemas. Vence sua primeira corrida na Ferrari e já começa conquistando a confiança da equipe e dos tifosi.

FELIPE MASSA9 – Um retorno excepcional. Sem problemas físicos, Massa sempre andou entre as cabeças e conseguiu a primeira fila. Na corrida, perdeu a segunda posição para Alonso mas andou direitinho e, com o problema de Vettel, obteve um ótimo segundo lugar. Nada a reclamar.

LEWIS HAMILTON 8 – Fez o que deu pra fazer. Discreto nos treinos, fazia uma corrida sossegada e conseguiu passar Rosberg nos pits. Passou Vettel no final e pegou um terceiro lugar. Diante disso, saiu no lucro.

SEBASTIAN VETTEL 9 – Conseguiu uma pole espetacular e liderava com austeridade até o final, quando o motor começou a apresentar perda de potência no final da corrida. Acabou perdendo até mesmo o pódio. Injustiça das grandes.

NICO ROSBERG8 – Sempre mais rápido que Schumacher, conseguiu fazer um bom porém discreto fim de semana. Vinha em quarto antes da parada de boxes, quando foi ultrapassado por Hamilton. Depois, longe do quarto e do sexto, apenas preocupou-se em chegar ao fim.

MICHAEL SCHUMACHER7 – É evidente que o retorno seria difícil. E foi mesmo. Schumacher andou o tempo todo atrás do Rosberg, teve dificuldades com os pneus e passou o final da corrida se defendendo de Button e Webber. Terminar apenas uma posição atrás do companheiro não foi tão ruim.

JENSON BUTTON6,5 – Nunca esteve em posição sequer de obter um pódio, e sempre andou mais lento que Hamilton. A corrida foi morna, e ele não conseguiu passar Schumacher no final, mesmo com mais carro.

MARK WEBBER6 – Irregular nos treinos, perdeu muito tempo atrás do tráfego e acabou terminando como o pior dos pilotos do G8. Já começa muito atrás de Vettel.

VITANTONIO LIUZZI8,5 – O grande destaque entre o resto. Sempre competitivo nos treinos, Liuzzi escapou da tradicional confusão da primeira curva e manteve-se sempre entre os dez primeiros. Com um regulamento que premia os dez primeiros, saiu com um lucro enorme.

RUBENS BARRICHELLO6 – O carro não é aquela Brastemp, mas pelo menos deu pra superar seu companheiro novato. Corrida apenas discreta, e o ponto só veio por causa do novo regulamento e pelo acidente da largada.

ROBERT KUBICA 7 – É um chamariz de acidentes. Surpresa do treino de classificação, Kubica foi acertado por Sutil na primeira curva e despencou para o final do grid. Com um carro meia-boca, terminou a apenas uma posição de pontuar. Não merecia sair zerado.

ADRIAN SUTIL 4 – Continua o mesmo Sutil de sempre: muito rápido e muito desastrado. Sua vítima, dessa vez, foi Kubica. Depois do acidente, não apareceu mais, mas pelo menos terminou.

JAIME ALGUERSUARI4 – Não tinha carro para fazer muito mais do que isso. Mas pelo menos ficou na frente do companheiro de equipe.

NICO HÜLKENBERG 3 – Estréia difícil. Apenas razoável nos treinos, sua corrida foi discretíssima e ele ainda deu uma boa rodada na primeira metade da corrida. Eu diria que não foi sequer o melhor estreante da corrida.

HEIKKI KOVALAINEN4,5 – Tinha enormes motivos para sair feliz do Bahrein. Largou bem, foi o primeiro entre os pilotos de equipes novatas, não teve percalços no meio da corrida, superou seu companheiro e ainda terminou classificado na frente de um Toro Rosso.

SEBASTIEN BUEMI2 – Teve todos os problemas possíveis e impossíveis para um piloto, de falta de tração na largada a problemas elétricos no final. Porém, ainda foi considerado como classificado.

JARNO TRULLI3 – Bateu Kovalainen na classificação, mas terminou atrás do finlandês. Porém, podia dar-se por feliz, pois o conseguiu com uma equipe novata e um carro com problemas hidráulicos.

PEDRO DE LA ROSA3,5 – Surpreendeu muitos que achavam que ele perderia para Kobayashi. Largou na frente do japonês e chegou a executar uma boa ultrapassagem sobre ele. Porém, o carro quebrou. Com relação ao resto, era apenas mais um piloto do meio do pelotão.

BRUNO SENNA4 – Seu objetivo era fazer o máximo de quilometragem com o seu HRT. De certa forma, até que conseguiu andar um pouco nos treinos e fazer 20 voltas na corrida antes de o motor estourar. Fez tudo isso sem errar, e isso é o que importa.

TIMO GLOCK3,5 – Melhor entre os pilotos de equipes novatas durante os treinos, sofreu durante a corrida até abandonar.

VITALY PETROV5 – Esse, sim, foi o melhor estreante. Razoável nos treinos, fez uma superlargada e poderia até ter pontuado. Mas teve problemas na suspensão e teve de abandonar quando estava nos pits.

KAMUI KOBAYASHI2,5 – Já começou o ano perdendo para o De La Rosa. Ficou atrás na classificação, largou melhor mas depois tomou uma ultrapassagem dele. Pouco depois, abandonou com problemas. A aura de gênio em potencial dá uma trégua, o que era absolutamente esperado em um carro apenas mediano.

LUCAS DI GRASSI3 – Tem um carro ruim nas mãos e, por isso, sua excelente largada surpreendeu a todos. Mas o carro não durou mais do que três voltas, vítima de problemas hidráulicos.

KARUN CHANDHOK1 – É um infeliz. Desde que foi contratado, deu apenas cinco voltas com seu carro. Na última, que foi a segunda volta da corrida, bateu. Alegou desconhecimento do traçado. Triste situação.

Anúncios