MARK WEBBER10 – Segundo dez consecutivo, dessa vez no circuito mais celebrado do calendário. Pole inconteste, liderança fácil e talvez a vitória mais importante da vida deste cidadão. De brinde, a liderança do campeonato.

SEBASTIAN VETTEL 8 – Ficou atrás de seu companheiro australiano durante todo o fim de semana. Perdeu a primeira fila para Robert Kubica, mas se recuperou na primeira curva. Diante de tantos fins de semana problemáticos, o segundo lugar não foi tão ruim assim.

ROBERT KUBICA 9 – Muito rápido nos treinos, conseguiu largar de uma ótima primeira fila. Foi ultrapassado por Vettel na primeira curva, mas manteve-se em um confortável terceiro lugar até o final.

FELIPE MASSA 7,5 – Não teve problemas com os pneus e conseguiu fazer seu melhor fim de semana desde o Bahrein. Largou em quarto e lá terminou. Em uma pista como Mônaco, como ele mesmo disse, não havia mais nada a se fazer.

LEWIS HAMILTON 7 – Também não há muito o que dizer. Largou em quinto em uma pista que não favorecia seu carro e terminou na mesma posição.

FERNANDO ALONSO 5 – Teve mais um fim de semana daqueles. Bateu no treino livre de sábado, o que simplesmente acabou com qualquer chance de participação no treino oficial. Largou em último e teve trabalho para ultrapassar Lucas di Grassi. Apostou em uma excelente estratégia de fazer sua parada no primeiro safety-car, o que o jogou para sexto após todas as paradas. No final, ainda tomou uma ultrapassagem feia de Schumacher na Anthony Noghes. É o único piloto de ponta que saiu de Mônaco com história pra contar.

NICO ROSBERG 5,5 – Mais um fim de semana discreto. E mais uma vez, teve trabalho com Schumacher. Largou à sua frente, mas perdeu a posição para ele nos pits. Só fez para terminar nos pontos.

ADRIAN SUTIL 7 – Não foi tão bem nos treinos, mas fez uma ótima largada e se aproveitou do bom trabalho da Force India nos pits para terminar em nono. Com a desclassificação de Schumacher, subiu para oitavo. Driblou Liuzzi mais uma vez.

VITANTONIO LIUZZI 6 – Bateu Sutil em um treino oficial pela primeira vez neste ano. Manteve-se bem na corrida, mas perdeu uma posição para seu companheiro nas paradas de boxes. Terminou nos pontos, afastando um pouco sua má fase.

SEBASTIEN BUEMI 6 – Dessa vez, não teve qualquer azar e conseguiu terminar a corrida. Com a desclassificação de Schumacher, ainda levou um pontinho de presente.

JAIME ALGUERSUARI 5 – Fazia tempo que não ficava atrás de Buemi. Dessa vez, fez apenas um fim de semana de aprendizado e conseguiu o que queria, terminar a corrida. Para complementar seu aprendizado, ainda deu uma escapada na Saint Devote sem qualquer consequência.

MICHAEL SCHUMACHER 8 – Vou dar um crédito ao cara pelo atrevimento. Largou atrás de Rosberg mas conseguiu ultrapassar seu companheiro na largada e vinha fazendo mais uma corridinha tranquila até chegar na última curva da corrida e executar uma bela ultrapassagem sobre Alonso. Acabou tomando uma punição correta, mas amarga.

VITALY PETROV –  2,5 – Mais um fim de semana ruim a começar pela batida forte no treino oficial. Não vinha bem na corrida até abandonar no final com problemas na traseira, decorrentes ainda dos efeitos da batida.

KARUN CHANDHOK 3 – Vinha se arrastando com prudência, se é que dá pra falar assim, até ser atingido pelo estrupício do Trulli. Teve sorte de sair com a cabeça grudada no corpo.

JARNO TRULLI 1 – Com 412 anos de idade, 7891 corridas no currículo e até mesmo uma vitória no principado, aquela tentativa de ultrapassagem sobre Chandhok na Rascasse foi uma das coisas mais grotescas que eu já vi no automobilismo, digna de estreante da Fórmula 3.

HEIKKI KOVALAINEN 3 – Foi o primeiro companheiro de Jarno Trulli a superá-lo em um treino oficial. Fazia uma corrida apenas para chegar, mas preferiu abandonar por considerar seu carro inguiável. Como, aliás, ficou visível nas suas rodadas no treino de quinta-feira.

BRUNO SENNA 4,5 – Demonstrando sua competência em Mônaco, vinha em sua melhor corrida até aqui até ter problemas hidráulicos. Poderia ter chegado à melhor posição da curta história da Hispania.

RUBENS BARRICHELLO 6 – Competitivo nos treinos, fazia uma corrida para marcar bons pontos. Porém, um problema cuja natureza ainda não é clara levou o Williams a bater forte na subida para a Massenet. Foi o acidente mais forte do fim de semana.

KAMUI KOBAYASHI 2,5 – Para variar, abandonou. Para variar, o câmbio foi o responsável. A novidade é o mau resultado no treino oficial.

LUCAS DI GRASSI 5 – Teve sua primeira demonstração de arrojo na Fórmula 1 ao segurar Fernando Alonso de forma valente. A razoável nota vai para este momento, já que o restante foi sofrível como de costume. Dessa vez, o abandono se deu por problemas na roda.

TIMO GLOCK 2,5 – Não fez nada que chamasse a atenção a não ser bater e andar por meio circuito com o carro completamente torto.

PEDRO DE LA ROSA 2,5 – Não termina uma corrida há duas eras geológicas. O sistema hidráulico foi o responsável da vez.

JENSON BUTTON 3 – Com relação à performance individual, não estava mesmo em seu melhor fim de semana. Porém, abandonar após apenas três voltas devido a uma maldita tampa da entrada de ar esquecida no carro é chato demais. De líder do campeonato, saiu de Mônaco como quarto colocado.

NICO HÜLKENBERG 2 – Razoável nos treinos, largou muito mal devido a problemas de embreagem e bateu forte no túnel na primeira volta. Mais um fim de semana dispensável.

Anúncios