MARK WEBBER 10 – E o primeiro dez do ano vai para o primeiro piloto que conseguiu vencer largando da pole- position. Sem qualquer contratempo, o australiano manteve-se na ponta na primeira curva, fez um turbilhão de voltas mais rápidas e venceu sem qualquer estresse. Primeira corrida notável dele na temporada.

FERNANDO ALONSO 8 – Fazia tempo que não tinha uma corrida normal. Contou com a sorte para ganhar as posições de Lewis Hamilton e Sebastian Vettel e obteve um ótimo segundo lugar. Todavia, é impossível não destacar a prudência na condição do seu Ferrari, que está longe de ser o melhor carro do grid.

SEBASTIAN VETTEL 7 – Ofuscado pelo seu companheiro de equipe desde a classificação. Na corrida, perdeu uma posição para Hamilton na saída dos pits e ainda teve problemas com os pneus e com os freios no final, sendo obrigado a fazer uma parada extra. No fim das contas, saiu no lucro com o pódio.

MICHAEL SCHUMACHER 8 – Finalmente um fim de semana melhor que o do companheiro. Superior a Rosberg desde sexta- feira, Michael chamou a atenção na corrida ao ganhar a posição de Button na saída dos boxes deste e ao segurá-lo por um monte de voltas com a competência e a agressividade que estávamos acostumados a ver em tempos anteriores. As mudanças no carro parecem ter surtido efeito.

JENSON BUTTON 6,5 – Vinha em um fim de semana apenas normal quando acabou sendo prejudicado por um mau trabalho de pits da McLaren, o que lhe fez perder uma posição para Schumacher. O restante da corrida se deu atrás dele, com inúmeras tentativas infrutíferas de ultrapassagem. Ainda assim, manteve-se na liderança do campeonato.

FELIPE MASSA 6 – Sofreu mais uma vez com problemas de aderência, o que foi visto no treino de classificação. Na corrida, o destaque vai para a ótima largada e o toque com Chandhok que danificou levemente a asa dianteira da Ferrari. Apesar de estar próximo de Button e Schumacher em alguns momentos, nunca conseguiu empreender uma tentativa real de ultrapassagem.

ADRIAN SUTIL 8 – Uma ótima corrida pouco notada pelas pessoas. Fez o 11º tempo no treino oficial, largou muito bem e se defendeu dos ataques da Renault de Kubica por cerca de 40 voltas. Seis pontos muito bem vindos na briga pela melhor equipe do resto.

ROBERT KUBICA 6 – Obteve uma boa posição no grid, mas prejudicou muito sua corrida na primeira volta ao se tocar com Kamui Kobayashi. Com o bico danificado, não conseguiu imprimir um ritmo adequado. Após trocá-lo, a performance melhorou, mas já era tarde demais e ele ficou preso atrás de Sutil.

RUBENS BARRICHELLO 6,5 – Um péssimo treino de classificação e uma ótima largada marcaram seu fim de semana. O restante da corrida foi sossegado e Rubens marcou mais dois pontos com seu insuficiente Williams.

JAIME ALGUERSUARI 4 – Sair de Montmeló com um ponto foi um enorme lucro, considerando a posição no grid de largada e o toque desastrado em Chandhok. Já teve fins de semana mais interessantes.

VITALY PETROV 3 – Devemos considerar a perda de cinco posições no grid graças à troca de câmbio, mas é verdade que Vitaly também não chamou a atenção em momento algum. Pelo menos, está aprendendo a terminar corridas.

KAMUI KOBAYASHI – 4 – Finalmente conseguiu terminar uma corrida, mas não sem dar uma amostra de sua propensão a acidentes de largada ao ser atingido por Kubica. Uma pena, já que tinha conseguido ir para o Q1 no treino de classificação. Depois disso, só fez para terminar a corrida.

NICO ROSBERG 2,5 – Teve um péssimo fim de semana a começar pela superioridade de Schumacher. Mal no treino de classificação, ainda teve um pequeno entrevero com Kubica na largada e, posteriormente, perdeu mais tempo com problemas nos pits. De bom, apenas a ultrapassagem sobre Hülkenberg pela distante 15ª posição.

LEWIS HAMILTON 8,5 – Depois da Red Bull, era o piloto mais rápido do grid. Na verdade, ele até conseguiu ultrapassar Vettel logo após a parada do alemão nos pits. Vinha obtendo um ótimo segundo lugar até um azaradíssimo estouro de pneu na última volta da corrida o projetar em direção à barreira de pneus. Uma pena.

VITANTONIO LIUZZI 3 – Não foi bem nos treinos e nem na corrida. Já começa a ficar claramente atrás de Sutil.

NICO HÜLKENBERG 3,5 – O ponto alto do fim de semana foi ter superado Barrichello com folgas no treino de classificação. A corrida foi ruim e seu carro não colaborou. Mais uma vez, dá mostras de ter problemas em manter um bom ritmo durante uma prova inteira.

JARNO TRULLI 4,5 – Foi o melhor entre os pilotos das equipes nanicas, tanto nos treinos como na corrida. Após problemas nas corridas anteriores, chegar ao fim pode ser considerado como uma vitória para ele.

TIMO GLOCK 4 – Era outro que nem sempre vinha conseguindo terminar mas que obteve êxito desta vez. Teve uma pequena disputa com Trulli, mas acabou ficando atrás. De qualquer jeito, em se tratando de Virgin, nada a reclamar.

LUCAS DI GRASSI 3 – Terminou bem atrás de Glock, mas pelo menos conseguiu chegar no fim.

SEBASTIEN BUEMI 2 – Outra corrida recheada de problemas. Toque com De La Rosa na primeira volta, drive-through por infração nos pits e problemas hidráulicos que acabaram com sua corrida na volta 43. Vem em uma terrível maré de azar.

KARUN CHANDHOK 2 – Superou Senna na classificação, mas teve de trocar o câmbio e largou em último. Vinha apenas se arrastando com seu Hispania até ser atingido por Alguersuari, o que danificou a suspensão do seu carro e o levou ao abandono. Também chamou a atenção ao ser tocado por Massa momentos antes.

PEDRO DE LA ROSA 1,5 – Superado por Kobayashi na classificação, voltou a manifestar falta de sorte ao se tocar com o igualmente azarado Buemi na largada. Abandonou em seguida.

BRUNO SENNA – 1 – Largaria em último, mas ganhou três posições com as punições distribuidas ao seu companheiro e aos pilotos da Virgin. Sua corrida terminou na primeira volta, com uma saída de pista motivada por erro e pela completa falta de aderência de seu carro.

HEIKKI KOVALAINEN 0 – Nem largou. Ele foi a vítima da vez do precário sistema de transmissão do Lotus.

Anúncios