JENSON BUTTON8,5 – Vitória com estratégia e dose de sorte. Razoável nos treinos, foi tocado por Alonso na largada e após o safety-car ainda foi ultrapassado pelo diabólico Hamilton. Foi aos boxes trocar os pneus antes de todo mundo, no que tomou a decisão mais inteligente da história da Oceania, e acabou ganhando um monte de posições. Com o abandono de Vettel, foi para a liderança e não a abandonou mais.

ROBERT KUBICA9 – Anda mais que o carro. Fez uma superlargada e ainda foi beneficiado pelos acidente da primeira curva e pelo ótimo trabalho de pits da Renault. Mereceu nota maior por segurar bravamente Hamilton na segunda metade da corrida.

FELIPE MASSA 9 – Teve um carro problemático durante todo o fim de semana, e o pódio foi um ótimo prêmio de consolação. Esteve discreto mas eficiente, fez uma largada incrível e conseguiu segurar Alonso com sucesso. Excelente.

FERNANDO ALONSO6,5 – Tinha tudo para ter saído com um grande resultado, mas pôs tudo a perder em um acidente patético na primeira curva. Caiu lá para trás, mas com as nuances da corrida conseguiu voltar lá para frente e empreender forte ataque sobre Massa sem conseguir ultrapassá-lo.

NICO ROSBERG7 – Com tantos destaques e tantas atuações pirotécnicas, o alemão acabou ficando um pouco apagado. Mas foi um sobrevivente e terminou em um bom quinto lugar, considerando que não tem carro melhor que o das outras três equipes de ponta.

LEWIS HAMILTON6,5 – Ao lado de Webber, o grande animador da corrida. Esteve quase sempre envolvido com ultrapassagens e manobras estranhas. Teve dois entreveros com o australiano, e acabou levando uma pancada por trás no último deles. Poderia ter terminado melhor.

VITANTONIO LIUZZI7,5 – Mais uma vez, foi pior que Sutil na classificação e, mais uma vez, conseguiu marcar pontos para Force India ao contrário de seu companheiro. Não se envolveu em confusões, parou apenas uma vez e, mineiramente, foi o melhor entre as equipes médias.

RUBENS BARRICHELLO7 – O carro não é genial, mas o brasileiro se desdobra para conseguir o melhor resultado possível. Na Austrália, ficou sempre ali entre os dez, mas teve de ultrapassar De La Rosa no final por este não ter feito a segunda parada.

MARK WEBBER5,5 – Ele tinha o melhor carro nas mãos, mas se envolveu em tantas coisas que não teria marcado pontos pela pontuação do ano passado. Foi colocado para fora por Hamilton em uma confusão e, no final da corrida, deu o troco batendo na traseira dele e perdendo o bico. O trabalho de sua equipe nos pits não ajudou, mas ficar lá no meio da maciota não estava nos planos.

MICHAEL SCHUMACHER 3 – Discreto durante todo o fim de semana. Na corrida, quebrou o bico quando foi tocado por Alonso na largada. Depois, tomou um X do Virgin de Glock e perdeu um quintilhão de voltas atrás de Alguersuari e só o ultrapassou no finalzinho. É a readaptação.

JAIME ALGUERSUARI7 – Talvez sua melhor atuação na Fórmula 1 até aqui. Foi combativo e segurou Schumacher durante muitas voltas. No fim, merecia ter marcado um pontinho. E está se dando melhor em corrida do que Buemi.

PEDRO DE LA ROSA 4 – Largou novamente à frente de Kobayashi. Tentou não fazer uma segunda parada, mas acabou sendo ultrapassado por vários no final. No fim, terminou ali onde seu Sauber permite.

HEIKKI KOVALAINEN4,5 – Outra vez, o melhor dos novatos. Não se envolveu em problemas e levou seu Lotus até o fim, embora duas voltas atrás. Está fazendo o que se espera dele, que é terminar corridas.

KARUN CHANDHOK7,5 – Terminar uma corrida complicada e longa em um circuito até então desconhecido para ele e em um carro precário e mal-testado como o HRT é quase como uma vitória para ele. Disse dias antes que terminar seria um milagre. Milagre feito, pois.

TIMO GLOCK 3,5 – Só se destacou pelo X sobre Schumacher no começo da corrida e por ter andado em quinto no momento das paradas. No mais, o carro continua quebrador e, dessa vez, a suspensão o deixou nas mãos faltando apenas 15 voltas para o fim.

SEBASTIAN VETTEL 9,5 – Dessa vez, serei justo e darei a maior nota a ele. Marcou uma pole-position sensacional e tinha tudo para ter dominado a corrida. E até vinha fazendo isso, mesmo tendo parado depois de todo mundo, até que os freios o deixaram na mão e o alemão saiu da pista, abandonando a corrida.

LUCAS DI GRASSI2,5 – Não há muito o que se dizer. Como no Bahrein, largou atrás de Glock. E como no Bahrein, abandonou por problemas hidráulicos.

ADRIAN SUTIL3,5 – Largou entre os dez primeiros e poderia ter ido bem. Mas o motor não funcionou desde o começo e o resultado foi o abandono.

VITALY PETROV 2,5 – Menos brilhante que no Bahrein, só apareceu na boa largada. Depois de dez voltas, porém, sofreu com uma pista que ainda secava e rodou sozinho.

BRUNO SENNA3 – Chegou a estar em 14º após a bagunça da primeira volta. Mas o carro apresentou problemas hidráulicos e o abandono veio ainda no começo.

SEBASTIEN BUEMI3 – Estava razoável nos treinos, mas foi abalroado por Kobayashi na primeira volta.

NICO HÜLKENBERG2 – Sofreu um bocado durante todo o fim de semana e também foi atingido por Kobayashi. Deu sorte de não ter se machucado.

KAMUI KOBAYASHI 2 – Não foi bem nos treinos e ainda deu um tremendo e perigoso azar ao ter a asa quebrada do nada ainda na primeira volta. Sem controle, bateu na mureta e ainda levou Hülkenberg e Buemi embora em um acidente assustador.

JARNO TRULLI0 – Sequer largou por problemas hidráulicos e nem fez falta.

Anúncios