VIRGIN RACING

Quando a FIA anunciou a Manor como uma das três novatas escolhidas para 2010, todo mundo torceu o nariz. Afinal de contas, era uma equipe que tinha surgido do nada e que cuja maior experiência era a Fórmula 3 inglesa. Passados quase dez meses, ironicamente, é a equipe novata mais adiantada de todas. Renomeada Virgin após a compra da estrutura por parte de Richard Branson em Setembro, a equipe apareceu com um belo carro vermelho e preto um pouco mais rápido porém mais problemático que a Lotus. A motivação maior de Branson é exatamente superar Fernandez, em uma disputa particular entre magnatas da aviação.

Sediada em Dinnington, UK
Estreante

 

24- TIMO GLOCK

O sorriso era dos tempos da Toyota. Já na Virgin...

É talvez o piloto mais sem brilho do grid. Não que seja um mau piloto, muito pelo contrário. Glock, se não é gênio nos treinos, tem um excelente ritmo de corrida e é um piloto confiável. O problema é que ele não chama a atenção de jeito nenhum. Ou melhor: na única vez em que isso aconteceu, ele foi o responsável pela definição do campeonato de 2008, quando teve problemas de pneus na última volta da corrida de Interlagos e acabou deixando Hamilton passar e obter o resultado que precisava pra ser campeão. Depois de dois anos bons e discretíssimos na Toyota, será primeiro piloto da Virgin. A conferir.

Alemão, de Lindenfels, nascido em 18 de Março de 1982
36 GPs disputados
3 pódios
51 pontos
Campeão da GP2 em 2007, rookie do ano da ChampCars em 2005

25- LUCAS DI GRASSI

Urgh...

Mal comparando, é igual ao seu companheiro de equipe: ótimo em corrida mas apagado. Vice-campeão da GP2 em 2007 e terceiro colocado nos dois últimos anos, Lucas sempre chamou a atenção (?) mais pela constância do que exatamente pela velocidade. Sempre se envolveu muito pouco em acidentes (só me lembro de uma pancada em Hockenheim na F3 em 2005) e raramente erra. Mas ainda deve um pouco em agressividade. Depois de dois séculos na principal categoria de base européia, finalmente encontrou uma vaga de titular na F1. É membro do Mensa (panelinha dos gênios) e ex-estudante de Economia, atraindo uma pequena simpatia por parte deste blog.

Brasileiro, de São Paulo, nascido em 11 de Agosto de 1984
Estreante
Vice-campeão de GP2 em 2007, vencedor do GP de Macau em 2005 e vice-campeão da F-Renault brasileira em 2002

Você prefere andar nisso ou no carro da HRT?

O bom de ter um blog é esse: sair escrevendo o que você pensa. Portanto, alguns pitacos sobre o que virá no Bahrein. Coisas rápidas, mesmo.

SAKHIR: é uma pista um tanto injustiçada. Ninguém gosta porque ela, de fato, não rende lá grandes corridas. Mas convenhamos que ela permite ultrapassagens, muito mais difíceis de ocorrerem em rincões como Mônaco ou Silverstone. Para este ano, criaram um trecho absurdamente sinuoso que começa na curva 4, dando à pista mais de 6km de extensão. Dizem que é pra melhoras as ultrapassagens. Mas há gente cética, como o cracoviano Kubica. No mais, sendo bem conservador, creio em uma corrida apenas morna, nem muito ruim nem muito boa. E tome suco de trinj!

SCHUMACHER: alguém lá nos arredores de Stuttgart já percebeu que o carro da Mercedes não vai brigar pela vitória. E o vovô, como vai se comportar? Mas a maior dúvida é: ele vai colocar tempo no Rosberg ou não? É o piloto em quem vou ficar mais atento em todo o fim de semana.

HRT: tudo sendo ajeitado às pressas. Bruno Senna descolou um patrocínio de um banco hoje cedo. O pessoal está virando a noite acertando as duas jabiracas cor de grafite. O motor deverá ser ligado hoje ou amanhã. A Onyx começou exatamente assim em 1989. Em menos de cinco meses, já tinham um pódio no boletim. Mas não deve acontecer o mesmo com os hispanos.

RED BULL: Alonso já disse que será a vedete do fim de semana. Heidfeld também. A Red Bull terminou em grande forma no ano passado, fizeram menos quilometragem nos testes mas o pouco que foi feito já rendeu. O povo está com medo dos taurinos. Eu tinha em mente que Alonso venceria, mas mudo de idéia. Aposto em Vettel.

VIRGIN: ou Manor? Eis a questão, Carlos Henrique Schroder.

Uma quase twittada, notícia de relevância altíssima: o espanhol Dani Clos, piloto meia-boca da Racing Engineering na GP2, está em Jerez visitando a Virgin. O que estaria fazendo por lá? Visitando seu ex-companheiro Lucas di Grassi? Não parece ser o caso.

De qualquer jeito, lembremos: as ligações entre Racing Engineering e Virgin estão cada vez mais estreitas. A equipe espanhola de Alfonso de Orleans e Bourbon estaria conversando com Luiz Razia para ocupar um de seus carros. Seria o único brasileiro na GP2 a ocupar um carro competitivo. Outro piloto com quem Orleans conversou muito foi Álvaro Parente, o ex-recém contratado test driver da Virgin.