MCLAREN 9,5 – Só não fez 10 porque não colocou nenhum carro na primeira fila e tinha capacidade para isso. O resto foi impecável: um Button inteligente e um Hamilton mercurial que levaram seus carros cromados a uma belíssima dobradinha.

MERCEDES 7 – Fez duas corridas distintas. A de Rosberg foi boa, com o alemão andando sempre à frente. A de Schumacher foi desastrosa, com o outro alemão andando lá no meio do bolo. Com Ross Brawn, tem a melhor equipe de estratégia da Fórmula 1, mas poderiam caprichar mais no trabalho dos pits.

FERRARI5,5 – Vem errando nas estratégias constantemente de uma maneira insuportável. Alonso, mais uma vez, foi combativo e salvou o fim de semana da equipe. Já Massa nunca brilhou e perdeu a liderança do campeonato. Dessa vez, porém, os dois motores chegaram ao fim inteiros.

RENAULT 9 – Tomou uma atitude corajosa e esperta ao deixar os dois pilotos permanecerem na pista com pneus slick. Kubica só não pegou um pódio por causa do segundo safety-car e Petrov conseguiu, enfim, terminar uma corrida, e ainda por cima nos pontos. Os resultados estão melhores que os carros, que não são ruins.

RED BULL3 – Mais uma vez, uma corrida perdida. Depois de fazer mais uma classificação impecável, tudo foi por água abaixo no péssimo trabalho de box da equipe na primeira parada de seus dois pilotos. Após isso, nunca mais conseguiram se recuperar. E o carro não estava lá grandes coisas.

FORCE INDIA 2,5 – Pela primeira vez no ano, os indianos não pontuaram. Sutil passou bem perto, mas Liuzzi não completou sequer a primeira volta. Por incrível que pareça, a equipe esteve muito melhor na corrida chinesa do ano passado.

WILLIAMS 1,5 – O carro nunca esteve bom e nem as táticas de corrida, como é comum chez Grove. Nem Barrichello e nem Hülkenberg tiveram qualquer chance de pontuar.

TORO ROSSO0 – Ridículo, o problema das suspensões dianteiras do carro do Buemi na sexta-feira. O fim de semana não foi tão ruim assim, embora também não tenha sido bom. O zero vai pelo fiasco do carro do helvético.

LOTUS4 – Menção honrosa por ter arriscado, com Kovalainen, a manter um carro na pista com pneus slick no começo. Pena que o bólido é muito ruim e o finlandês nem pôde sonhar em pontuar. Trulli abandonou outra vez.

HRT4 – Vem avançando a passos lentos, e já está próxima de Virgin e Lotus em termos de performance. Pela segunda vez consecutiva, os dois carros chegaram ao final. É uma pena que a equipe seja tão desorganizada e pobre.

VIRGIN 1 – Um carro nem largou, o outro abandonou com apenas oito voltas. Mais uma vez, a falta de confiabilidade é um problema. Pena, pois Glock foi o mais rápido das equipes novatas na classificação.

SAUBER 1,5 – Chega a ser triste ver uma equipe com tanta história não dispor de dinheiro de patrocinadores e ter carros tão problemáticos. Kobayashi, além de tudo, é azarado e abandonou na primeira volta. De La Rosa chegou a andar nos pontos, mas quebrou.

CORRIDA ÓTIMA – Não me lembro de uma corrida aonde houve ação durante todas as suas voltas. É óbvio que a chuva ajudou, mas pra uma pista que nunca tinha tido até então uma corrida memorável, o que tivemos nessa madrugada de sábado para domingo foi uma agradável surpresa. Muitas ultrapassagens, um acidente na primeira volta, movimentos polêmicos e corridas excepcionais de pilotos como Jenson Button e Lewis Hamilton. Honestamente? Desliguei a TV e fui dormir satisfeito.

TRANSMISSÃONORMAL – Nada de mais. O Galvão insistiu apenas em algumas pseudopolêmicas como a ultrapassagem de Alonso sobre Massa na entrada dos pits e o segundo safety-car. Mas nada que não aconteça em toda corrida. Não me lembro de outras bizarrices do Reginaldo Leme e do Burti. Deve ser o sono. Mas enfim, passo o trio de ano.

Anúncios